Congresso que instituiu há 50 anos o Dia Nacional do Samba terá segunda edição

Cinquenta anos depois do 1º Congresso Nacional do Samba, uma nova edição do evento vai reunir de amanhã (30) a domingo (2), em dois locais do Rio de Janeiro, personalidades e pesquisadores das áreas do samba, do carnaval e da cultura popular. Além de fazer uma revisão da Carta do Samba, documento aprovado na primeira edição evento, o 2º Congresso Nacional do Samba tem uma proposta bem atual: a discussão sobre o samba e o carnaval no contexto da economia criativa e como patrimônio cultural e imaterial do país.

Redigida pelo escritor e folclorista Edison Carneiro (1912-1972), cujo centenário está sendo comemorado este ano, a Carta do Samba foi aprovada por importantes personalidades desse segmento cultural em 2 de dezembro de 1962, data que se consagrou como o Dia Nacional do Samba, desde então festejado em todo o país. O segundo congresso será aberto às 18h desta sexta-feira, em sessão solene na Câmara Municipal do Rio de Janeiro, na Cinelândia, no centro da cidade. Além da Câmara, os debates também ocorrerão no Museu da República, no Catete, zona sul da cidade.

Na abertura do evento, serão homenageados os três participantes do primeiro congresso ainda vivos, o jornalista, ator e escritor Haroldo Costa, o jornalista e escritor Sérgio Cabral e o pesquisador musical José Ramos Tinhorão. Também haverá uma homenagem especial a Edison Carneiro.

“Eu ainda era um estudante quando participei do 1º Congresso Nacional do Samba e fui um dos signatários da carta”, lembra Haroldo Costa. “Naquela época, as escolas de samba não tinham a projeção que têm hoje, e a carta, além de instituir a data comemorada em todo o Brasil, deu um status ao samba, no sentido de seu reconhecimento oficial como o ritmo nacional”, disse.

Autor de 14 livros sobre escolas de samba e carnaval, Haroldo Costa destaca a importância dos anos seguintes ao primeiro congresso para este segmento da cultura popular. “Foi uma década muito importante para as escolas de samba, que começaram a ganhar maior estrutura e se tornarem mais difundidas, principalmente na zona sul da cidade”, ressaltou.

A iniciativa de fazer o 2º Congresso Nacional do Samba é do projeto de extensão Portal do Carnaval, da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UniRio), em parceria com instituições ligadas à folia carioca. Entre elas, estão a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa), Liga das Escolas de Samba do Grupo de Acesso (Lesga) e a Federação dos Blocos Carnavalescos do Estado do Rio de Janeiro (Fbcerj). A coordenação do projeto é do professor Jair Martins de Miranda, do Centro de Ciências Humanas e Sociais da UniRio.

Previsto para ser lançado na web em janeiro de 2012, o Portal do Carnaval terá como objetivo permitir a troca de informações, serviços, produtos, negócios e perfis de profissionais envolvidos com a organização da maior festa popular do Rio de Janeiro. O projeto conta com financiamento do Serviço Brasileiro de Apoio à Pequena e Média Empresa (Sebrae) e da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).