SP: polícia prende membros do PCC encarregados de atentados

Entre os presos está o foragido 'Volverine'

Em uma operação sigilosa, a Polícia Civil prendeu nesta quarta-feira (28) quatro integrantes do Primeiro Comando da Capital (PCC) que estariam encarregados de cometer atentados contra policiais e alvos de segurança do Estado na região de Araçatuba, interior paulista.

Policiais do Grupo de Operações Especiais (GOE) e de outras unidades da Polícia Civil cumpriram 12 mandados de prisão e de busca e apreensão na casa de suspeitos. A operação tem ligação com o latrocínio do empresário Marcos Antônio Loquete, 51 anos, dono de uma fábrica de calçados de Birigui, que foi assassinado com um tiro nas costas durante um roubo em sua casa. Na ocasião, cinco pessoas foram presas. Com elas, a polícia encontrou material de contabilidade financeira, drogas, armas e um estatuto do PCC.

Entre os presos está Weslley Alexandre Rodrigues Silva, 25 anos, o "Volverine", foragido da penitenciária de São José do Rio Preto, preso em um local suspeito de ser ponto de tráfico na periferia de Araçatuba. "Volverine" é condenado a 20 anos de prisão por roubo e homicídio. Preso desde os 18 anos, ele deixou o presídio após uma saída temporária, em agosto, e não retornou mais. Além de ser membro do PCC, o criminoso também teria envolvimento direto no latrocínio ocorrido em Birigui e seria um dos responsáveis por possíveis ataques a alvos da polícia, segundo o delegado seccional Nelson Barbosa Filho.

Ao ser detido, "Volverine" tentou apresentar um documento do irmão para enganar os policiais e acabou preso em flagrante por uso de documento falso. Outros três acusados, também ligados à facção, foram presos em Araçatuba e em Birigui. Um dos detidos é um jovem de 19 anos, preso com 15 porções de cocaína. Outro acusado de tráfico também foi detido em Birigui.