Justiça ordena transferência de ex-diretores de agências para salas

A Justiça Federal de São Paulo negou o pedido de suspensão da prisão preventiva de dois ex-diretores de agências estatais indiciados pela Polícia Federal na Operação Porto Seguro. Porém, a Justiça ordenou a transferência de Rubens Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), e Paulo Vieira, ex-diretor da Agência Nacional de Águas (ANA), para salas especiais de Estado-Maior por serem advogados e terem direito a esse benefício.

A decisão foi da juíza Adriana Zanetti, da 5ª vara criminal da justiça federal de São Paulo. Os dois indiciados aguardam a transferência em Brasília, onde permanecem detidos.

De acordo com a assessoria da Justiça Federal em São Paulo, só existe uma sala de Estado-Maior vaga em Brasília e ela será ocupada por Paulo Vieira. Seu irmão, Rubens vieira, será transferido para uma sala especial da Polícia Federal em Brasília até que o Ministério da Defesa providencie uma vaga.

Paulo Vieira é apontado pela Polícia Federal como líder do esquema alvo da Operação Porto Seguro. O grupo é acusado de favorecimento para empresas e pessoas interessadas em obter vantagens ilícitas. Seu irmão também é apontado como envolvido no esquema de corrupção.