BA: demitidos da Webjet fazem protesto e apelam para Dilma

Cerca de 50 profissionais que trabalhavam na Webjet realizaram, na tarde desta segunda-feira, uma manifestação no aeroporto Luís Eduardo Magalhães, em Salvador, contra a demissão em massa anunciada pela GOL na última sexta-feira. De acordo com os ex-funcionários, só na capital baiana foram 150 pessoas demitidas. Em todo o Brasil, aproximadamente 850 profissionais, entre pilotos, comissários, mecânicos e pessoal de apoio, fora dispensados. Durante a manifestação, cartazes e faixas apelavam pela atenção da presidente Dilma Rousseff.

Os manifestantes fizeram um apitaço no saguão do aeroporto chamando a atenção dos passageiros. A empresa foi comprada pela GOL, que, em nota, justificou a decisão dizendo que a Webjet possui uma frota velha e que consome muito combustível.

Uma funcionária, que não quis se identificar, revelou, com revolta, a forma como os profissionais foram demitidos. "Eles saíram ligando para todo mundo na quinta-feira à noite pedindo uma reunião de emergência na sexta-feira pela manhã. Ao chegarmos lá, nos deram a noticia alegando o alto valor dos combustíveis. Isso é um absurdo", contou.

De acordo com a comissária de bordo da Webjet, Karine Melo, as manifestações vão continuar acontecendo para tentar sensibilizar o governo e os órgãos competentes sobre a situação dos trabalhadores. "Isso é uma humilhação. Como podem agir dessa maneira? Ninguém está pensando nos nossos empregos. Por isso peço que a presidente, que é guerreira como nós, interfira nessa situação", disse Karine.