Alckmin nega crise por mortes e fala em "campanha contra SP"

São Paulo - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), disse nesta quinta-feira que não existe uma crise na segurança pública do Estado como resultado de mais de uma centena de mortes por disparos de arma de fogo em homicídios na região metropolitana da capital, sendo 92 policiais militares desde o início do ano.

Citando a taxa de óbitos por 100 mil habitantes, disse que São Paulo tem "o melhor índice do Brasil" e que não levar isso em conta é uma "campanha contra o Estado". "Você tem que dar o devido... senão cria uma situação injusta, quase como uma campanha contra o Estado", declarou nesta manhã, após enumerar população do Estado confrontada com a quantidade de homicídios.

Alckmin fez as considerações ao ser questionado por jornalistas presentes ao evento de lançamento de um edital para a construção do prolongamento da Linha 9-Esmeralda da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM), que deve ser aumentada desde Jurubatuba até a região de Parelheiros, no terminal Varginha. O governador tem encerrado as entrevistas coletivas logo após ser questionado sobre a onda de violência, sempre citando a operação conjunta da Polícia Civil com o governo federal, já em andamento.