"Sou vítima de mim mesmo", diz Jefferson

Comentário foi postado em seu blog sobre as condenações que sofreu

Ainda convalescendo de uma cirurgia causada por um câncer no pâncreas, o ex-deputado federal e presidente licenciado do partido, Roberto Jefferson (PTB-RJ), não posou de vítima após os resultados de quinta-feira (27) do julgamento do mensalão. A maioria dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) o condenaram por 6 votos a 0 por corrupção passiva e Jefferson também pode sofrer condenação por lavagem de dinheiro (até agora, 6 votos a 1 por sua condenação).

"A maioria da Corte Suprema do meu país já me condenou pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Embora não concorde com as imputações, recebo com serenidade a decisão dos ministros. E reafirmo: não vendi o meu partido ao PT nem me apropriei para fins pessoais de nem um centavo sequer do dinheiro que a mim chegou para financiar campanhas eleitorais. Muito menos sou delator, alcunha com que tentam à força me marcar. Não sou vítima de ninguém, a não ser de mim mesmo. Nada a reclamar. 'Dura lex, sed lex' ('a lei [é] dura, porém [é] a lei')", postou o presidente licenciado do PTB em seu blog na manhã desta sexta (28).

Se nenhum ministro voltar atrás em seus votos até o final do julgamento, ainda sem data definida para terminar, Jefferson será condenado. Ainda existe, porém, a possibilidade de redução de pena, como defendeu o ministro Luiz Fux para os que tenham colaborado para identificar outros envolvidos no mensalão - embora não tenha citado o ex-deputado nominalmente. O escândalo veio à tona com denúncia feita por Jefferson em 6 de junho de 2005 à Folha de S.Paulo.