Ouvidoria: ação da Rota que deixou nove mortos em SP é 'preocupante' 

O ouvidor da Polícia do Estado de São Paulo, Luiz Gonzaga Dantas, considerou preocupante a morte de nove pessoas na ação da Polícia Militar (PM) ocorrida na terça-feira em Várzea Paulista, na Grande São Paulo. ''Realmente, esse fato é preocupante, visto que várias pessoas foram mortas onde havia agentes do Estado'', afirmou.

Foram empregados 40 homens das Rondas Ostensivas Tobias de Aguiar (Rota) na operação que, segundo a polícia, tinha como objetivo impedir o julgamento, pelo crime organizado, de um homem apontado pelo grupo como estuprador. 

De acordo com a PM, oito suspeitos foram mortos ao reagirem à ação, que não conseguiu evitar a execução do homem pelos criminosos. O comando da corporação negou que as mortes dos suspeitos foram uma reação às execuções de policias que vêm ocorrendo nos últimos meses no Estado.

Gonzaga Dantas disse que a ouvidoria fará uma apuração dos fatos, além de acompanhar as investigações no Departamento de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP). ''Vamos ouvir pessoas que tenham testemunhado esses fatos lamentáveis'', destacou o ouvidor. O órgão pediu ainda providências à corregedoria da PM.

O Ministério Público também acompanhará o inquérito policial sobre a ação da Rota em Várzea Paulista. As promotoras Patrícia Tiemi Momma e Francine Regina Cavallini foram designadas para acompanhar as investigações.