PE: segurança suspeito de matar empresário se apresenta à polícia 

Apresentou-se à polícia na manhã de segunda-feira, em Recife, o segurança Jailson Melo, que teve imagens suas portando uma arma gravadas pelo circuito interno do prédio onde morava o empresário Sérgio Falcão, dono de uma construtora no Nordeste encontrado morto na última terça. Melo prestou depoimento à delegada Vilaneide Aguiar na Diretoria de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP), no bairro da Imbiribeira, zona sul da cidade. Sargento reformado da Polícia Militar de Pernambuco, o suspeito chegou ao local com três advogados e não falou com a imprensa.

Um de seus advogados de defesa, no entanto, falou com a imprensa quando seu cliente entrou na DHPP, pouco antes da 9h, e quando saiu, pouco depois das 13h. A versão que a defesa sustenta é que o empresário Sérgio Falcão cometeu suicídio. De acordo com o advogado André Fonseca, seu cliente atendeu a um pedido do seu patrão em serviços de segurança. Ele afirma que Sérgio Falcão, que queria uma arma.

"O empresário tomou a arma que meu cliente levou e se matou em seguida", declarou. Como forma de comprovar sua tese, recorreu à autópsia, que não registrou marcas no interior da boca, além da perfuração de bala. O advogado também disse que o segurança não teve tempo de pegar a arma de volta antes do empresário disparar.

A primeira versão dava conta que o proprietário da Construtora Falcão tinha sido atingido pela nuca, mas logo a polícia reformulou o dado e disse que o tiro foi disparado na boca e saiu pela nuca. Ele foi encontrado pela empregada doméstica, que havia ficado em seu quarto, atendendo a uma ordem incomum do patrão. Sérgio Falcão deu autorização para o segurança Jailson entrar e também para estacionar a moto na garagem.

As câmeras do circuito interno gravaram a aproximação do segurança de moto. Ele estacionou o veículo na garagem e subiu pelo elevador do edifício 14 Bis, na avenida Boa Viagem, um dos metros quadrados mais valorizados do Nordeste. As gravações também mostram o segurança saindo do apartamento, guardando a arma, uma pistola .380, voltando ao apartamento para pegar o capacete e depois, nervoso, procurando a moto e saindo com ela.

A família, que revelou que Falcão estava em tratamento médico para depressão, descarta a versão de suicídio e acredita que Jailson seja o responsável pelo crime. Falcão estava separado da mulher e enfrentava outros problemas familiares. A construtora que dirigia também passava por dificuldades com fornecedores e clientes.

A delegada Vilaneida Aguiar não quis entrar em detalhes sobre a investigação para não atrapalhar o trabalho da polícia. Ela não confirmou se foi encontrada pólvora nas mãos do empresário. Uma reconstituição do momento do crime deve ser coordenada por ela nesta segunda-feira.