João Paulo Cunha é questionado sobre mensalão em debate 

Paralamentar prefere, porém, falar sobre questões de Osasco 

O deputado e candidato a prefeito de Osasco, João Paulo Cunha (PT), teve de enfrentar perguntas sobre o processo em que é réu no Supremo Tribunal Federal (STF) logo na primeira pergunta do debate da rede Bandeirantes, na capital. Postulante do Psol, Alexandre Castilho associou o esquema do mensalão ao financiamento privado de campanhas políticas e instou o petista a comentar.

Cunha afirmou que sua campanha é "baseada na legalidade", disse apoiar o financiamento público exclusivo para campanhas políticas, mas que isso "nada tem a ver com o mensalão". "Infelizmente o ordenamento jurídico de nosso país permite o financiamento público...privado", afirmou, corrigindo-se. O deputado declarou ainda que sua vinculação com o governo federal é positiva para o município.

O tema foi novamente recorrido no debate na primeira pergunta de jornalistas. O repórter da Band Sandro Barboza lembrou do voto favorável do relator Joaquim Barbosa do processo à condenação de Cunha por peculato, corrupção e lavagem de dinheiro. O deputado petista disse que esta "era a opinião do ministro", mas que é necessário 'aguardar o final' do julgamento."A Justiça fará Justiça", declarou.

Ao chegar aos estúdios, Cunha disse nesta manhã de sábado (18) que não se esquivaria de perguntas sobre o julgamento. Segundo o parlamentar, no entanto, esperava debater questões da cidade e não o processo pelo suposto esquema do mensalão. "(O debate) é para discutir questões da cidade, evidente que não vou fugir de nenhum debate, mas espero discutir o município", declarou.