Conselho Nacional defende Gurgel de críticas em julgamento

O presidente do Conselho Nacional dos Procuradores-Gerais (CNPG), Cláudio Lopes, defendeu nesta sexta-feira o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, responsável pela denúncia do mensalão, após as críticas que ele sofreu feitas por advogados de alguns dos réus no julgamento do Supremo Tribunal Federal (STF). Durante discurso de abertura em congresso internacional do Ministério Público, Lopes repudiou os ataques pessoais contra Gurgel e elogiou-o "por sua firme atuação no caso Mensalão".

"São inaceitáveis e intoleráveis os ataques pessoais contra o procurador-geral da República. Manifesto plena e absoluta confiança no trabalho realizado pelo Doutor Gurgel, que deve e merece ser respeitado", afirmou. Para o presidente do CNPG, as divergências processuais devem se "ater às discussões fáticas e jurídicas e dispensar que descambem para um lado que não tem a ver com o objeto da questão, desvirtuando o verdadeiro foco da causa".

Cláudio Lopes também criticou a proposta que reduz o poder de investigação de promotores e procuradores - a chamada PEC 37, que está em discussão no Congresso. Na opinião dele, trata-se de uma afronta à democracia e ao direito de segurança dos cidadãos. "Se aprovada, impedirá o MP de investigar e proteger a sociedade de eventuais desmandos e omissões policiais. Temos esperança de que o bom senso prevaleça no Congresso. Acreditamos que o STF, caso necessário, irá se pronunciar, impedindo que esse retrocesso sem precedente se consume".