Com voto de Barbosa, João Paulo Cunha vira assunto no Twitter

Enquanto o relator do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, lia a primeira parte de seu voto condenando o deputado federal João Paulo Cunha (PT-SP) por lavagem de dinheiro, o nome do petista aparecia entre os tópicos mais comentados pelos usuários do Twitter. Candidato à prefeitura de Osasco (SP), Cunha possui perfil no microblog, mas não escreve nada desde quarta-feira.

Muitos internautas que citaram o nome do deputado cobraram a presença dele na rede social para comentar a condenação pelo relator do processo. Cunha tem evitado falar sobre o assunto e usa seu perfil no Twitter para divulgar as propostas de campanha. No início da tarde de hoje, o nome do ministro Joaquim Barbosa também estava entre os assuntos mais comentados pelos internautas.

No início da fala, Barbosa defendeu a condenação de João Paulo Cunha e dos sócios da agência de publicidade SMP&B - Marcos Valério, Ramon Hollerbach e Cristiano Paz - por crimes de corrupção envolvendo a relação da empresa com o ex-presidente da Câmara. O relator disse que, um dia após uma reunião com Valério, Cunha recebeu R$ 50 mil e depois desse pagamento, "a empresa foi contratada".

O advogado de Cunha, Alberto Zacharias Toron , disse na quarta-feira, dia 8, durante sua sustentação oral no STF, que não houve comprovação sobre a forma com que Cunha beneficiaria a empresa de Valério sob o recebimento de R$ 50 mil. Ele negou irregularidades na contratação da agência e afirmou que, no contrato firmado durante a gestão de Aécio Neves na presidência da Câmara, eram permitidas as subcontratações colocadas sob suspeita pela Procuradoria Geral da República.