Jefferson: "se fosse o Collor, estaria preso, mas no Lula não pega" 

Roberto Jefferson acompanhava o julgamento do mensalão em seu apartamento, na Barra da Tijuca, no Rio, e quando seu advogado no caso, Luiz Francisco Barbosa, disse que o ex-presidente Lula deveria estar entre os réus, ele disparou: "Se fosse o Collor, estaria preso, mas no Lula não pega", comentou. 

Jefferson mantém o discurso de que, em sua opinião, o petista não tinha conhecimento do mensalão; disse que sentiu "surpresa'' de Lula quando o alertou sobre o mensalão. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

O petebista se recupera de uma cirurgia realizada há 15 dias para a retirada de um câncer no pâncreas. Segundo ele, a acusação de que o ex-presidente beneficiou os bancos BMG e Rural representa a posição de seu advogado, fruto de desdobramentos das investigações. Jefferson se emocionou e chorou quando a defesa de Emerson Palmieiri, ex-tesoureiro do PTB, disse que o presidente da legenda preservou os nomes de quem recebeu R$ 4 milhões do PT. "Ia envolver pessoas, revelar nomes?", questionou. 

Ao final, pareceu satisfeito com a atuação de seu advogado, que destoa do estilo "almofadinha" dos demais defensores. "É muito maluco, muito corajoso"