CPMI decide reconvocar Carlinhos Cachoeira 

A Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Cachoeira aprovou a reconvocação do contraventor Carlinhos Cachoeira, que já compareceu à comissão, mas evocou seu direito constitucional de permanecer em silêncio para não se autoincriminar.

A ideia de reconvocar Cachoeira surgiu depois que sua mulher, Andressa Mendonça, foi ao programa Fantástico, da Rede Globo, para dizer que seu marido estava disposto a falar. Depois da entrevista, a comissão chegou a votar proposta de que uma comitiva o visitasse na prisão, mas essa sugestão não foi aprovada.

O novo depoimento ainda não está marcado.

>> CPMI do Cachoeira rejeita criação de sub-relatorias

>> CPMI do Cachoeira rejeita criação de sub-relatorias

>> CPMI quebra sigilo telefônico de Perillo e da mulher de Cachoeira 

Diversos outros requerimentos de convocação foram aprovados.O empresário Conrado Caiado Viana Feitosa, primo em segundo grau do deputado Ronaldo Caiado (DEM-GO), foi um dos convocados. Segundo a Polícia Federal, ele desenvolveu um site para o grupo de Carlinhos Cachoeira — o brazilbingo, hospedado na Argentina — e manteve contatos com o contraventor e com um dos principais integrantes da quadrilha, Lenine Araújo de Souza, com quem trocou ligações telefônicas. Além disso, ele participou da constituição de uma empresa no Uruguai em nome de Lenine com capital de US$ 2 milhões.

A delegada-geral da Polícia Civil de Goiás, Adriana Sauthier Accorsi, e o comandante-geral da Polícia Miltar de Goiás, Edson Costa Araújo, também foram convocados.

Os requerimentos de convocação dos deputados goianos Carlos Alberto Leréia (PSDB) e Sandes Júnior (PP) e da prefeita de Valparaíso de Goiás, Lêda Borges (PSDB), foram destacados pelo relator, deputado Odair Cunha (PT-MG), e deverão ser votados ao final .

Informações da Agência Câmara