Investigação da PF aponta que Cachoeira tinha firmas de fachada nos EUA 

A Polícia Federal descobriu que o empresário Carlinhos Cachoeira mantinha, até ser preso, ao menos cinco empresas de fachada no exterior. Segundo informações do jornal Folha de S.Paulo, a PF sugere o aprofundamento das investigações sobre essas empresas, sediadas na Flórida, nos Estados Unidos. 

A revelação pode levar à abertura de nova linha de investigação na CPI que apura o esquema do empresário. As informações sobre as empresas são de um relatório produzido pela PF no fim de março a partir da análise de mensagens encontradas no e-mail de Gleyb Ferreira da Cruz, auxiliar de Cachoeira.

No relatório pericial, a Polícia Federal limitou-se a analisar o conteúdo das mensagens trocadas entre Gleyb e pessoas que, segundo a PF, eram prepostos do esquema em solo americano. Somente nesta breve análise, fundamentada em comprovantes de depósito anexados aos e-mails de Gleyb, a PF identificou remessas de cerca de US$ 400 mil para contas dessas empresas. 

As firmas identificadas pela PF são a Keypointgroup, BRZ Organics, Expoflex Corporation, CR International Trade and Services e a Cinema Equipment & Supplies. O jornal tentou localizar os advogados de Gleyb e Carlinhos Cachoeira, mas eles não têm comentado as acusações e suspeitas sobre seus clientes.