Dilma proíbe que funcionários  acompanhem mensalão no expediente 

A presidente Dilma Rousseff 'ordenou' que nenhum servidor do Executivo federal acompanhe o julgamento do mensalão na hora do expediente, revelou nesta terça-feira o ministro da Secretaria-Geral, Gilberto Carvalho. A presidente vem adotando o discurso de que a administração não pode parar por causa do maior julgamento da história do Supremo Tribunal Federal (STF).

"A ordem da presidenta Dilma é para que ninguém perca um minuto do seu trabalho vendo ou acompanhando o processo", disse o ministro. Ele ponderou, no entanto, que a ordem da presidente não se estende às horas vagas dos funcionários.

"Que se informe, naturalmente, nas horas vagas, mas que siga trabalhando com maior rigor, como é praxe da presidenta Dilma e do nosso governo", acrescentou o ministro.

Segundo interlocutores próximos a Dilma, ela vem acompanhando o julgamento do caso que se tornou a maior crise política do governo do seu antecessor, Luiz Inácio Lula da Silva.