Mercadante diz que proposta para professores em greve é final 

O ministro da Educação, Aloizio Mercadante, disse nesta segunda-feira que a proposta de reajuste feita aos professores de ensino superior é "final". O governo oferece um piso de reajuste de 25% nos próximos três anos, podendo chegar a 45% para docentes com doutorado e dedicação exclusiva. Professores universitários de todo o País estão parados desde maio e não aceitam a proposta do governo.

"Não conheço nenhuma outra categoria que tenha proposta como essa nesse quadro de crise internacional", disse Mercadante. Há restrições fiscais pela crise e pela prioridade, que é garantir emprego daqueles que não têm estabilidade", acrescentou.

Segundo o ministro, a proposta feita pelo Executivo aos professores terá um impacto financeiro de R$ 4,3 bilhões. "Numa conjuntura adversa como essa, é o limite do que podemos chegar neste momento", afirmou. "Espero que a partir de agosto a gente possa reestabelecer as aulas para que não haja prejuízo para os alunos."

Entenda a proposta do governo

O governo federal apresentou no dia 24 de julho uma nova proposta às entidades que representam os professores universitários em greve desde 17 de maio. Os aumentos, que serão escalonados durante os próximos três anos, começam a vigorar a partir de março de 2013. Na proposta anterior, feita no último dia 13, o aumento iria vigorar a partir de julho. Veja no quadro ao lado as duas propostas: