Em Porto Alegre, suspeito de matar mulher e filho 'espionou' e-mails 

O bioquímico Ênio Luiz Carnetti, 46 anos, suspeito de matar a mulher e o filho a facadas, teria utilizado um software para espionar os e-mails da companheira. De acordo com o delegado Cleber Lima, Carnetti afirmou, em um bilhete encontrado no local do crime, que havia instalado um programa no computador de sua casa e, com ele, ter acessado mensagens trocadas entre a mulher e um suposto namorado.

Segundo o delegado, a suposta traição teria sido o motivo do crime. Lima informou que o suspeito imprimou diversos e-mails da mulher, que foram encontrados junto ao bilhete na cena do crime. O bioquímico está preso em flagrante, mas sob custódia no Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre (RS). Ele se feriu após pular de uma ponte na BR-290, na região metropolitana da capital gaúcha.

Os corpos de Márcia Calixto Carnetti, 39 anos, e de seu filho, Mateus, 5 anos, foram encontrados na manhã desta quinta-feira pela Brigada Militar. Os cadáveres foram achados, degolados, na residência do casal em um condomínio fechado do bairro Tristeza, na zona sul de Porto Alegre. Principal suspeito do crime, Ênio nega as acusações.

A Polícia Civil aguarda a perícia técnica nos corpos das vítimas para precisar o dia em que o duplo homicídio foi cometido. No local do crime, foram encontradas duas facas, que teriam sido usadas nos assassinatos.