PF desarticula quadrilha que contrabandeava cigarros no Sul 

A Polícia Federal deflagrou no início da manhã desta quarta-feira, em cidades do Rio Grande do Sul e do Paraná, a Operação Travessia, que tem como objetivo desarticular três grupos criminosos especializados no contrabando de cigarros. Policiais cumprem oito mandados de prisão preventiva e 26 de busca e apreensão nos municípios gaúchos de Lagoão, Bagé, Aceguá, Soledade, Barros Cassal, Cachoeira do Sul e na cidade paranaense de São Francisco Beltrão.

A investigação da PF identificou que o pequeno município de Lagoão servia de base para grupos que adquiriam cigarros no Paraguai e distribuíam nas regiões de Santa Cruz do Sul, Cachoeira do Sul, Aceguá, Bagé e Santana do Livramento. Segundo a polícia, as características do município de Lagoão, com pouco mais de seis mil habitantes, difícil acesso e posição geográfica estratégica facilitavam para encobrir a atuação das quadrilhas. Além de Lagoão, os grupos mantinham centros de distribuição de cigarros em Francisco Beltrão e Soledade e transportavam a mercadoria desde sua origem em veículos de passeio.

Entre fevereiro e julho, foram presas 20 pessoas e apreendidos 15 veículos, radiocomunicadores e mais de 270 mil pacotes de cigarro. Os investigados devem responder por contrabando, formação de quadrilha, receptação, adulteração de sinal de identificação de veículo automotor, sonegação fiscal e crime contra a Lei Geral de Telecomunicações pela utilização de radiocomunicadores.

O nome "Travessia" foi inspirada no episódio bíblico em que Moisés dividiu o Mar Vermelho, em referência ao nome do município de Lagoão, que servia de base para as quadrilhas. A operação também teve apoio de policiais da Operação Sentinela, que combate crimes transnacionais como o contrabando, descaminho e tráfico internacional de drogas.