Chalita diz que Russomanno como linha auxiliar 'é lamentável'

O candidato do PMDB à prefeitura de São Paulo, deputado federal Gabriel Chalita, fez críticas a seu adversário Celso Russomanno (PRB) por servir de linha auxiliar para a campanha de José Serra (PSDB) na disputa. Segundo Chalita, a utilização de uma candidatura secundária é "lamentável". " Cada candidato tenta disputar a sua eleição pra ganhar a eleição. Ganhar ou perder faz parte do processo", afirmou Chalita. "Ou então não seja candidato e apoio o outro", completou.

"Se é verdade que houve um acordo de levar o PTB para o Celso Russomanno, articulado pelo PSD, para enfraquecer minha candidatura (...) ele (Russomanno) prestou um péssimo serviço", disse o candidato peemedebista. O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, articulou uma reunião entre o presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, que teve a presença de José Serra e o coordenador da campanha de Russomanno na última sexta. Segundo o jornal Folha de S. Paulo, a reunião terminou com um pacto de não-agressão entre os candidatos.

Gabriel Chalita ainda respondeu sobre uma possível proteção pedida pelo prefeito Gilberto Kassab (PSD) ao candidato Celso Russomanno (PRB) pelos funcionários das subprefeituras. Para o candidato, Kassab faz um "desserviço" a democracia e aos processos políticos.

"Eu acho que o Kassab está prestando um desserviço para a política. E ele passa a maior parte do tempo cuidando do partido dele e da campanha do Serra", afirmou. "Ele mostrou isso com a tirada dos secretários", completou Chalita ao lembrar da saída de sete secretários cotados para ser vice de Serra, entre eles o atual vice ex-secretário da educação Alexandre Schneider (PSD).

Segurança Pública

Chalita ainda atacou Kassab por sua atual política de segurança, que em sua opinião é "omissa" perante a cidade de São Paulo. "O prefeito está preocupado com BH, com o partido dele e com as alianças. Qualquer problema da cidade de São Paulo tem a ver com o prefeito" afirmou o candidato. Chalita ainda poupou a Polícia Militar e os governos federal e estadual de críticas, umas vez que ele tem fortes conexões com o governador Alckmin e com a presidente Dilma Rousseff.

"A PM coloca sua vida a disposição para salvar outras pessoas. A figura do PM, a Guarda Civil Metropolitnana não existe. O Kassab devia estar com o Alckmin e com a Dilma, não com presidente do PRB e o Serra pra fazer jogo político", enfatizou o deputado.

Chalita afirmou que como objetivo de sua campanha, deve criar um centro de inteligência integrando os polícia militar, civil e guarda civil metropolitana, e afirmou que ambas as instituições estão sendo desprestigiadas.

"Nós estamos criando desde uma ação de inteligência, como acontece no Rio. Com uma central com câmeras e radares interligados, demorou apenas três meses para fazer isso e o Rio tem menos recursos que nós", disse Chalita. "Há uma perseguição nos camelos da cidade, feirantes e jornaleiros e não ha uma perseguição dos bandidos. A GCM está cuidando de uma coisa que não deveria estar", completou.