Inspeção do CNJ no TJ-DF aponta 64 casos prováveis de nepotismo 

Inspeção feita pela Corregedoria Nacional de Justiça no Tribunal de Justiça do Distrito Federal apurou que 64 ocupantes de cargos comissionados do tribunal podem ter algum grau de parentesco com magistrados ou servidores do órgão, o que representaria 13,79% do total dos cargos de livre nomeação. Destes, 46 podem ser parentes de juízes ou desembargadores e 41% estão lotados em cargos na Presidência, na Vice-Presidência ou na Corregedoria, áreas de direção do tribunal.

De acordo com a corregedora nacional de Justiça, ministra Eliana Calmon, a inspeção realizada no TJDF não é um trabalho isolado, já que se estende aos demais tribunais de segunda instância, e vem sendo feito em todo o país. As informações agora colhidas costam do relatório da "revisão de inspeção" iniciada no último dia 19 de junho, com o objetivo de averiguar o andamento de procedimentos administrativos disciplinares sob a competência da Presidência e da Corregedoria do Tribunal de Brasília, sobretudo a ocupação de cargos em comissão.

Durante a inspeção, a Corregedoria Nacional teve acesso à lista de todos os servidores ativos ocupantes de cargos em comissão do tribunal, num total de 464 servidores. Destes, 429 são servidores efetivos e 35 não têm vínculo com o tribunal. No relatório já encaminhado à Presidência do TJDF, a Corregedoria Nacional determina a regularização das situações apontadas individualmente e estabelece um prazo de 15 dias para que o tribunal apresente os critérios para nomeação em cargos comissionados na Presidência, Vice-Presidência e na Corregedoria.