Primeiro suplente de Demóstenes é ex-marido de mulher de Cachoeira

Wilder Pedro de Morais, de 44 anos, nascido em Taquaral, Goiás, é o primeiro suplente do senador cassado Demóstenes Torres. Empresário, é dono da construtora Orca, e declarou à Justiça Eleitoral bens no valor total de R$ 14.419.491,02, sendo R$ 2,2 milhões em espécie.

Wilder de Morais foi marido de Andressa Mendonça, com quem teve dois filhos. Ela é a atual mulher de Carlinhos Cachoeira, preso pela Polícia Federal na operação Monte Carlo e cuja ligação com Demóstenes motivou a cassação do mandato do senador. A crise conjugal de Wilder e Andressa foi o motivo inicialmente alegado por Demóstenes para justificar as mais de 300 ligações para Cachoeira. Segundo o então senador, ele tentava reatar o casamento de Wilder de Morais. 

Wilder é filiado ao DEM, ex-partido de Demóstenes, e exerce o cargo de secretário de Infraestrutura na gestão de Marconi Perillo (PSDB) no governo de Goiás. Na função, Wilder de Morais dedica atenção aos setores de energia e de transporte. Em entrevista publicada no site da Secretaria de Infraestrutura de Goiás, afirmou que a pasta seria considerada pelo governador o “carro-chefe para desenvolver o estado”. Seu foco é a recuperação de rodovias e o aumento da capacidade dos aeroportos. Trabalhou também na solução para o problema financeiro da Companhia Energética de Goiás, a Celg, que contou com o apoio do governo federal.

O primeiro suplente de Demóstenes negou à imprensa ter sociedade com Cachoeira, que continua preso, acusado de chefiar uma organização que opera jogos ilegais, tráfico de influência e fraudes em licitações públicas.