Para deputados, cassação piora situação de investigados na Câmara 

O deputado Ivan Valente (Psol-SP), presidente nacional do partido, e o líder do Dem, deputado Antonio Carlos Magalhães Neto (BA), avaliam que a cassação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) piora a situação dos deputados investigados pela Câmara por associação com o mesmo esquema. Nesta quarta-feira, a Corregedoria deve divulgar o resultado das investigações sobre os deputados Rubens Otoni (PT-GO), Carlos Alberto Leréia (PSDB-GO) e Sandes Júnior (PP-GO).

"Só se a Casa for muito corporativa não teremos um desenlace semelhante ao do senador Demóstenes para alguns parlamentares aqui", disse Valente. O Psol pediu a investigação dos deputados na Câmara e do senador Demóstenes. Segundo o líder, há deputados com ligações telefônicas, empréstimos e outras doações comprometedoras.

Já o líder do Dem, antigo partido de Demóstenes, ressaltou que a cassação era a única saída para o caso do agora ex-senador. "Não haveria nenhuma hipótese de absolver Demóstenes. O Senado mostrou que impunidade não tem lugar no Congresso."

Neto também concorda que a decisão do Senado terá impacto nos deputados investigados. "É preciso que a Câmara tenha o mesmo compromisso do Senado e os deputados comprovadamente envolvidos com malfeitos precisam pagar o preço", disse.