Deputado diz ter sido ofendido por Marco Maia por ser nordestino

O deputado federal Mendonça Prado (DEM-SE) afirmou nesta quinta-feira que foi discriminado pelo presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), por ser nordestino. Em discurso no plenário da Casa, Prado lembrou a discussão que teve com Maia na noite de quarta-feira, durante votação do projeto sobre a jornada de trabalho dos enfermeiros. Na ocasião, o presidente da Câmara afirmou que o sergipano era "desqualificado".

"Talvez porque este parlamentar aqui seja um nordestino e ele, galego dos olhos azuis, possa (cometer) um ato discriminatório e preconceituoso. E esses petistas vivem dizendo que admiram os nordestinos. Esse ato de ontem foi discriminatório contra um deputado do menor Estado do Brasil, mas que tem talvez mais caráter e mais dignidade do que o presidente", disse Prado, lamentando aos colegas as "ofensas" de Maia e pedindo o respeito do parlamentar.

"Iniciei minha vida pública em 1988, fui três vezes vereador na minha cidade, deputado estadual, e exerço o meu terceiro mandato de deputado federal. Sou vice-líder da bancada do Democratas e sou vice-presidente nacional do meu partido. Sou advogado, me especializei em Direito Tributário e sou mestrando em Direito Internacional, Econômico e Tributário. Portanto, não me acho desqualificado."

Marco Maia e Mendonça Prado bateram boca por conta do adiamento promovido pelo governo da votação do projeto que fixa em 30 horas semanais a jornada de trabalho dos enfermeiros. Prado exigiu a palavra em nome do partido, mas, devido a manobras regimentais, a votação foi impedida e o pronunciamento do deputado também. Ao final, quando pode falar, Prado acusou Maia de ter sido o responsável pelo adiamento da votação, o que iniciou a discussão. "Não vou permitir que Vossa Excelência faça esse tipo discurso. Vossa Excelência é um tipo de desqualificado", disparou Maia.

Hoje, o líder do Democratas, deputado Onyx Lorenzoni (RS), exigiu que Maia peça desculpas ao colega. "O presidente Marco Maia tem até a noite de terça-feira para pedir desculpas publicamente ao partido e ao deputado, ou ele se desculpa publicamente ou nós faremos representação contra ele na Corregedoria."