MP apura discriminação racial em clipe de Alexandre Pires

O Ministério Público de Uberlândia (MG) está apurando uma suposta discriminação racial no clipe da música Kong, do cantor Alexandre Pires. A denúncia foi feita no último dia 26 de abril pela ouvidoria da Secretaria de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), órgão da Presidência da República. 

Segundo a secretaria, o vídeo "utiliza clichês e estereótipos contra a população negra" e "reforça estereótipos equivocados das mulheres como símbolo sexual". No clipe, que ainda conta com a participação do jogador Neymar e MC Catra, mulheres de biquíni dançam sensualmente em volta dos artistas e jogador, que estão fantasiados de gorilas.

Em comunicado divulgado nesta segunda-feira (7), Ministério Público Federal (MPF) em Uberlândia explicou que o cantor prestou esclarecimentos no dia 3 de maio e que ainda não nenhum posicionamento sobre a investigação, pois os fotos ainda estão sendo apurados.