AL: oficiais são presos por desviar R$ 300 milhões do sistema prisional 

A 17ª Vara Criminal de Maceió determinou nesta segunda-feira a prisão dos coronéis Luiz Bugarin e Erivaldo Albinos dos Santos, e do tenente Armando Leite da Silva, da Polícia Militar alagoana, além de mais oito pessoas, acusadas de um desvio milionário no sistema prisional de Alagoas. Os PMs detidos eram gestores do serviço penitenciário no período investigado pelo Ministério Público do Estado.

A Operação Espectro, deflagrada no dia 6 de março, revelou um desvio de R$ 300 milhões em alimentos. As investigações apontam que as empresas vendiam, mas não entregavam os produtos e ainda triplicavam o valor nas notas fiscais. Bugarin era ex-intendente do sistema penitenciário e Erivaldo, coordenador financeiro. O governo ainda não se pronunciou sobre o assunto.

Doze empresas estão na mira da investigação, mas 73 podem estar envolvidas na fraude. Os crimes são de peculato, corrupção passiva e ativa, falsificação de documento público e de documento particular, fraude em licitação, formação de quadrilha e sonegação fiscal.

Além dos oficiais, foram presos um capitão da PM, Armando Leite da Silva, o funcionário público Cícero Veríssimo Ferreira, o escrivão de polícia Ibernon Vieira Santos, a comerciante Maria Eunice Lopes da Silva, bem como três empresários: Pedro Paulino dos Santos Neto, Luiz Carlos Lins de Lima, Luiza Maria de Barros Leodino.