Suspeita de propina a políticos, Delta será investigada pelo MP-TO 

O Ministério Público em Tocantins abriu um inquérito no final da tarde de segunda-feira para investigar as relações do governo do Estado com a Delta Construções S/A, suspeita de manter negócios com o bicheiro Carlinhos Cachoeira. Escutas da Operação Monte Carlo indicaram um possível favorecimento à empresa em contratos firmados com o governo.

Além de reforçar a suspeita de tráfico de influência para favorecer a Delta em contratos com dinheiro público, uma das conversas apresenta indícios de pagamentos ilegais a políticos. O áudio, divulgado ontem no blog do jornalista Mino Pedrosa, registrou o conteúdo de uma reunião entre o empresário Fernando Cavendish, então presidente do conselho de administração da construtora, e outros dois empresários, que na época eram sócios.

Na gravação, de 2009, Cavendish diz que seria "convidado" pelo governo se desse dinheiro a políticos - convidado seria um termo para se referir a uma maneira de conseguir obras pagas com dinheiro público, de acordo com informações do Jornal Nacional.

Em nota, a Delta diz que o trecho foi pronunciado em tom de bravata e não expressa a opinião de Cavendish. Além disso, a empresa afirma que o áudio foi produzido clandestinamente e editado por ex-sócios da empresa, que estão sendo processados por calúnia e difamação.

Irregularidade em contrato com a prefeitura 

Outra suspeita investigada pelo MP-TO é o contrato firmado entre a Delta e a prefeitura de Palmas para recolhimento de lixo na cidade. De acordo com o Ministério Público Estadual, uma pericia da Polícia Federal nos documentos apresentados pela empresa para vencer a licitação indicou irregularidades. Entre elas a fraude do atestado de capacidade técnica, que apresentava serviços que não eram realizados pela construtora.