Líderes começam a recolher assinatura para CPMI sobre caso Cachoeira 

Os líderes dos partidos no Congresso já começaram a colher as assinaturas necessárias para a instalação de uma comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) a fim de apurar o envolvimento de agentes públicos e privados com o empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira. Ele é investigado nas operações Vegas e Monte Carlo, da Polícia Federal, por exploração de jogos de azar em Goiás. Na Câmara, são necessários 171 nomes e, no Senado, 27.

O objeto da investigação consta do requerimento formal da CPMI e foi definido conjuntamente entre líderes de partidos da base governista e da oposição. Segundo o documento, a comissão será composta por 15 senadores e 15 deputados titulares e igual número de suplentes. Os trabalhos terão prazo de 180 dias.

O requerimento estava em elaboração pelas lideranças da Câmara e do Senado, após decidirem optar por uma CPI do Congresso e não duas comissões, uma em cada Casa legislativa. O receio era que o foco de investigação fosse muito abrangente, o que poderia suscitar questionamentos de ordem jurídica ou regimental.