Humberto Costa voltará a pedir ao STF acesso a documentos sobre Cachoeira 

O relator da representação contra o senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) no Conselho de Ética, Humberto Costa (PT-PE), disse hoje (12) que apresentará na próxima terça-feira (17) seu plano de trabalho. O petista acrescentou que pretende voltar a pedir ao Supremo Tribunal Federal (STF) acesso aos dados sigilosos da Operação Monte Carlo, da Polícia Federal.

Escolhido relator no processo que pode resultar na cassação do mandato de Demóstenes Torres, após a desistência de cinco senadores, Costa disse que pretende seguir “de forma rigorosa e fiel” os regimentos do Senado e do Conselho de Ética, além da Constituição Federal. “Essa é a melhor maneira de proceder e evitar que o trabalho possa ser questionado”.

Costa disse que uma nova recusa do STF em encaminhar os documentos não irá atrapalhar o andamento do processo. “O julgamento no Conselho de Ética não é um julgamento que leva em consideração provas, legalidade das provas. É um julgamento eminentemente político. Minha preocupação é fazer um processo justo e imparcial que dê ao Senado e à sociedade as respostas que lhe estão sendo cobradas”, disse.

Perguntado se pretende ouvir o senador Demóstenes Torres, Humberto Costa disse que isso só ocorrerá se for necessário. “Ele já antecipou que é uma reivindicação sua não apenas presentar no prazo definido legalmente sua defesa por escrito, mas seu desejo de fazer sua defesa oralmente no Conselho de Ética”.