USP de Ribeirão Preto investiga trote com brincadeiras sexuais 

A Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, vai investigar denúncias de abusos contra calouros do curso, em trote aplicado por veteranos em uma festa de recepção. A polêmica veio à tona após dez alunos publicarem nesta semana uma nota de repúdio que descrevia brincadeiras humilhantes e de conotação sexual feitas com os calouros no evento "Festa de Coroação", entre elas, um juramento onde as mulheres tinham de prometer fazer sexo apenas com os veteranos durante o primeiro ano do curso.

De acordo com uma veterana que não quis se identificar e que é uma das autoras da nota, os alunos praticamente obrigavam os recém-chegados a participarem de brincadeiras, como uma em que as garotas tinham de rebolar para os rapazes. Outra reclamação é em relação ao uso de uma espécie de coroa pelos calouros. 

Eles deveriam andar com o adereço até serem liberados pelos veteranos, no dia 13 de maio. Ainda segundo relatos de alunos, quem é pego sem a coroa, na maioria das vezes, é abordado de forma agressiva por veteranos.

De acordo com o grupo que publicou a nota, o objetivo da denúncia também é chamar a atenção da comunidade acadêmica sobre a importância de se discutir os trotes violentos. Em entrevista coletiva, Ignácio Maria Poveda Velasco, diretor da Faculdade de Direito, disse que os fatos são "inaceitáveis" e que os alunos envolvidos podem ser punidos com advertências e até expulsão. "Não queremos que os novos alunos sejam coagidos". Velasco ainda deixou claro que, a festa citada ocorreu fora da instituição.

O presidente do Centro Acadêmico Antônio Junqueira de Azevedo (Caaja), Danilo Sérgio de Souza disse que repudia a violência, mas criticou a forma com o caso repercutiu. "Já havíamos conversado com esse grupo que divulgou a nota e deixamos um caminho aberto para o diálogo". Outros representantes do Caaja, também disseram que debates em relação aos trotes já vinham sendo feitos e que a nota divulgada não representa a opinião da maioria dos estudantes. A Faculdade de Direito da USP de Ribeirão Preto possui hoje cerca de 500 alunos.