Novos consulados devem levar 130 mil gaúchos e mineiros aos EUA 

No primeiro trimestre de 2012, a procura por vistos para os Estados Unidos no Brasil aumentou 62%, segundo dados da diplomacia americana. Isso fez com que os EUA - que sofrem com efeitos da crise financeira mundial - abrissem as portas para a entrada de brasileiros. Isso pôde ser constatado durante a visita da presidente Dilma Rousseff àquele país, quando foi anunciada a abertura de um consulado em Minas Gerais e outro no Rio Grande do Sul. A medida pode levar anualmente mais de 130 mil gaúchos e mineiros à América do Norte, segundo estimativas dos agentes de viagens.

Os brasileiros são a segunda nação que mais visita os EUA (ficam atrás apenas dos chineses) e gastam cerca de US$ 5 mil por pessoa nessas viagens, segundo estudos da chancelaria americana no Brasil. No ano passado, 1,5 milhão de pessoas visitaram os Estados Unidos e as estimativas - que não incluem na conta a abertura dos novos consulados - são de que, até 2016, esse número chegue a 2,8 milhões de pessoas.

Apesar dos agentes de viagens mineiros e gaúchos estimarem aumento de 50% e 20%, respectivamente, na procura por pacotes para os EUA, a categoria prevê problemas estruturais nos aeroportos cujos terminais já operam muito acima da capacidade, como é o caso do aeroporto de Confins, em Belo Horizonte.

Sobre as novas unidades consulares, a porta-voz do Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo, Katherine Caro, afirma que a meta é abri-las até 2014, com "vários funcionários brasileiros". "Sabemos que não vai ter somente uma seção dos vistos, também terá um departamento de relações públicas e outro comercial (Foreign Commercial Service) para promover os negócios entre os Estados Unidos e o Brasil". Ela diz que, só no ano passado, 29 mil gaúchos e 63 mil mineiros fizeram pedido de vistos nos consulados de Brasília, São Paulo, Recife e do Rio de Janeiro.

O valor de uma passagem aérea para os EUA varia entre US$ 600 (R$ 1 mil) e US$ 1 mil (R$ 1,8 mil) e a procura tem aumentado significativamente, afirmam os agentes de viagens. Para se ter ideia da demanda, a American Airlines oferece sete voos diários para três destinos diferentes nos EUA.

Apesar dos preços convidativos, as famílias mineiras têm que incluir no orçamento de viagem aproximadamente R$ 3 mil para conseguir o visto no Rio de Janeiro, sem contar com as taxas para a emissão do documento. Para os gaúchos, o valor fica em torno de R$ 800, por pessoa. A presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav) do Rio Grande do Sul, Rita Vasconcelos, diz que essas dificuldades afastam alguns. "Muita gente ficava desmotivada e resolvia ir para a Europa". Para ela, o consulado gaúcho vai representar "economia de despesa e de tempo".

Já em Minas, as dificuldades para a obtenção do visto não parecem frustrar os turistas, conforme afirma o vice-presidente da Abav de Minas Gerais, José Mauricio de Miranda Gomes. "Nesta semana e na próxima todos os voos para os Estados Unidos estão lotados e não é nenhum feriado ou alta temporada". Ele se mostra receoso com projeções, mas diz que os mais otimistas estimam que a procura deve aumentar 50% com o novo consulado.

A porta-voz do consulado americano em São Paulo afirma que apesar do tempo de espera na capital paulistana ser de até 40 dias, nas demais unidades, como a de Brasília ou do Rio de Janeiro, o agendamento sai em menos de 10 dias e o pedido pode ser feito em qualquer uma das cidades, não importando onde a pessoa reside. "É uma coisa contínua (a melhoria), não começou há um ano. Sempre estamos procurando facilitar o processo", diz Katherine. No entanto, confessa que não existem planos para outras unidades, além da mineira e gaúcha.

Maiores detalhes sobre como pedir o visto podem ser obtidos na página de Serviços de Informações sobre Visto da Embaixada dos EUA aqui.