Governo quer incentivar policiamento comunitário, diz Dilma 

A presidente Dilma Rousseff disse hoje (10), na coluna Conversa com a Presidenta, que o governo vai incentivar boas práticas de segurança pública por todo o país, como o policiamento comunitário.

Dilma citou como exemplo as unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) do Rio de Janeiro e explicou que, no entanto, as UPPs têm características que são específicas para a realidade carioca e que é preciso adaptar o projeto de segurança às diferentes cidades.

“A UPP tem características que são específicas para a realidade da violência do Rio de Janeiro, que não é a mesma de outras cidades brasileiras. O objetivo do governo federal é incentivar o policiamento de proximidade, ou policiamento comunitário, que faz parte do projeto das UPPs”, disse em resposta à pergunta de um leitor, que quis saber se o governo abandonou o programa de construção das unidades.

A presidenta informou que o Ministério da Justiça tem readequado o projeto de postos fixos de policiamento comunitário. “Inicialmente, os 2.883 postos seriam fixos, espalhados por todo Brasil, mas há situações em que a utilização de bases móveis, com monitoramento feito por câmeras, é mais eficiente”, explicou.

A coluna Conversa com a Presidenta é publicada semanalmente em jornais com respostas a perguntas enviadas por leitores à presidenta Dilma.