Câmara de Porto Alegre instala CPI para investigar ONG de Ronaldinho

A Câmara Municipal de Porto Alegre aprovou na manhã desta terça-feira o pedido de abertura de uma CPI para investigar os convênios do Instituto Ronaldinho Gaúcho (IRG) com a prefeitura. Dos sete vereadores da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), seis acompanharam o parecer do relator, Elói Guimarães (PDT), que teve voto contrário apenas do presidente da comissão, Luiz Braz (PSDB).

A CPI deve apurar seis convênios assinados pela prefeitura com o instituto, entre 2007 e 2010, envolvendo pelo menos R$ 5,7 milhões em recursos públicos. Desse total, R$ 2,3 milhões vieram do Ministério da Justiça, e o restante, dos cofres municipais. Entre os indícios de irregularidades há notas fiscais emitidas em série e sem discriminação.

Há divergências entre os dados apresentados referentes ao número de jovens beneficiados pelas atividades educativas previstas nos contratos. Também despertam suspeitas notas fiscais da contratação pelo IRG de outra entidade, o Instituto Nacional América (INA).