Corregedor: Conselho de Ética não pode ter acesso a documentos sobre Demóstenes 

O Conselho de Ética do Senado e a Corregedoria da Casa não terão acesso aos autos do processo da Procuradoria-Geral da República (PGR) sobre o senador Demóstenes Torres e encaminhados ao Supremo Tribunal Federal (STF). Em ofício enviado ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), o presidente do Supremo, Cezar Peluso, esclarece que, por tramitar em segredo de Justiça, somente uma comissão parlamentar de inquérito tem poderes para requerer a documentação à Corte.

O ofício será lido em plenário na tarde de hoje (9) por Sarney. As informações foram passadas pelo corregedor do Senado, Vital do Rêgo (PMDB-PB). Ele se reuniu, durante a manhã, com o presidente do Senado, com o líder do PMDB na Casa, Renan Calheiros (AL), e com o senador Romero Jucá (PMDB-RR).

A reunião teve por objetivo discutir o nome que o partido indicará para presidir o Conselho de Ética que se reunirá amanhã (10) a fim de decidir sobre a cassação do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO), acusado de participar de um esquema de contravenção comandado pelo empresário Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira.