MinC ainda analisa pedido de apoio à preservação da obra de João Gilberto 

Dez dias depois de uma reunião em Brasília, a ministra da Cultura, Ana de Hollanda, ainda analisa um pedido de ajuda à preservação da obra do compositor João Gilberto, um dos artistas populares mais importantes do mundo.

Em 20 de março, a produtora Cláudia Faissol, companheira do cantor, se reuniu com a ministra para pedir apoio governamental à celebração dos 80 anos de João Gilberto. Em 2011, a turnê comemorativa terminou cancelada, depois de problemas com a produção e com a saúde do mestre da Bossa Nova.

Entre os pontos de pauta no MinC, a questão judicial com a Emi Music, a reprodução ilegal de discos no exterior e a preservação de imagens raras do músico na Cinemateca Brasileira - este, um pedido encaminhado na gestão de Juca Ferreira. Segundo a assessoria do MinC, Ana de Hollanda não tem, por ora, uma resposta sobre essas questões. A "pirataria" das obras de João Gilberto no Reino Unido fugiria da esfera do governo.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) acolheu por 4 x 1, em 13 de dezembro de 2011, o pedido de indenização do músico João Gilberto contra a gravadora britânica EMI.

Os álbuns "Chega de Saudade" (1959), "O Amor, o Sorriso e a Flor" (1960) e "João Gilberto" (1961) continuam oficialmente fora do mercado fonográfico. Em 1992, a gravadora britânica EMI, detentora do catálogo da Odeon, reuniu os três bolachões e o EP "Orfeu da Conceição" num único CD, "O Mito", à revelia de João Gilberto, contrário ao fim da "sequência harmônica" das faixas. São apontados defeitos da remasterização. Na mudança para o formato digital, as gravações originais teriam sido deformadas.