Médicos confirmam que houve 'remissão completa' do câncer de laringe de Lula

O tumor de laringe diagnosticado no ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva em outubro passado teve uma remissão completa, afirmou nesta quarta-feira à AFP o porta-voz de seu Instituto da Cidadania, José Chrispiniano.

"O tumor do ex-presidente teve uma remissão completa", declarou Chrispiniano ao ser consultado sobre o estado de saúde de Lula.

"Foram realizados exames de ressonância nuclear magnética e laringoscopia que mostram a ausência de tumor visível", confirmou também em um comunicado o hospital Sírio-Libanês, que atende o ex-presidente de 66 anos que governou o Brasil entre 2003 e 2010.

Os exames realizados nesta quarta-feira em Lula mostram "apenas um leve processo inflamatório nas áreas submetidas a radioterapia, como seria esperado", acrescentou o hospital.

"Lula continua fazendo sessões de fonoaudiologia e iniciará um programa de revisões periódicas", afirmou ainda o boletim.

Ao receber a notícia, a presidente Dilma Rousseff disse estar muito feliz com a superação do câncer de Lula.

"Ele me telefonou há um tempo", disse à imprensa emocionada ao retornar do jantar que inaugurou a IV Cúpula dos Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), na capital indiana, Nova Délhi.

"De certa forma eu já esperava, mas ter a certeza é muito bom", disse a presidente, que também superou um câncer linfático diagnosticado em 2009, quando era ministra do governo de Lula.

Devido ao câncer, o ex-presidente foi submetido a três ciclos de quimioterapia e a 33 sessões de radioterapia.

No fim de dezembro, após as sessões de quimioterapia, o tumor cancerígeno se reduziu em 75%, razão pela qual seus médicos descartaram a opção cirúrgica.

No dia 12 de fevereiro, uma tomografia mostrou que o tumor havia desaparecido, mas o resultado deveria ser confirmado por uma laringoscopia no fim de seu tratamento de radiação.

No início de março, Lula precisou ser internado durante uma semana devido a uma pneumonia, o que atrasou a realização dos exames para verificar a remissão do tumor.

Lula terminou seu mandato no dia 31 de dezembro de 2010 com um recorde de 80% de popularidade, e conseguiu que os brasileiros elegessem sua herdeira política, Dilma Rousseff, como sucessora.

Além de se tratar no reconhecido hospital Sírio-Libanês, Lula recorreu também a um médium, informou recentemente o jornal O Estado de São Paulo.

Lula se reuniu ao menos três vezes em São Paulo com o médium João Teixeira de Faria - mais conhecido como "João de Deus" -, especializado em cirurgias espirituais e que vive em Abadiania, uma pequena cidade do estado de Goiás, a 117 km de Brasília, indicou o jornal.

Segundo o jornal, Lula teria buscado "curar sua alma" com o médium.

O câncer interrompeu as atividades do ex-presidente, que mantinha uma intensa agenda de encontros políticos e viagens.

O Partido dos Trabalhadores conta com a recuperação de Lula a tempo de participar na campanha para as eleições municipais no Brasil, disse recentemente seu presidente, Rui Falcão.