Com apoio da oposição, governo aprova Lei Geral da Copa

Após muitos adiamentos, desentendimentos e polêmicas, o governo enfim aprovou a Lei Geral da Copa. O texto base apresentado pelo relator Vicente Cândido teve a aprovação na Câmara dos Deputados na noite desta quarta-feira inclusive da oposição da base governista, sofrendo rejeição somente do PSOL. A venda de bebidas alcoólicas durante as partidas do Mundial de 2014, porém, ainda não foi sacramentada.

O projeto da Lei Geral havia sido criado em setembro do ano passado, para ditar as regras para a realização do Mundial no País - regulamentando, por exemplo, feriados nos dias em que alguma das 12 cidades-sede receberem jogos do torneio. A primeira votação havia sido marcada para dezembro do 2011, quando uma série de entraves passou a causar adiamentos e mais adiamentos para a sua aprovação.

Um dos temas que mais tem gerado debates no governo na Lei Geral da Copa, entretanto, ainda não foi definido. A venda de bebidas alcoólicas em estádios, importante para a Fifa - parceira de uma cervejaria - e proibida na legislação brasileira, ainda segue indefinida.

Uma emenda criada pelo PSDB, opositor do governo de Dilma Rousseff, foi criada pára questionar a venda das bebidas. Ela será apresentada na Câmara ainda nesta noite e passará por votação.