Líderes adiam para a próxima semana votação da Lei Geral da Copa

Os líderes da base aliada chegaram a um acordo para adiar a votação da Lei Geral da Copa (2330/11) para a próxima semana. Eles também decidiram retirar do texto qualquer referência a bebidas alcoólicas. Segundo o líder do PT, deputado Jilmar Tatto (SP), o governo brasileiro não assumiu compromisso com a Fifa de liberar as bebidas. “Compete aos deputados decidir sobre o assunto.”

Hoje, devem ser votados a MP 550/11 e os projetos 4715/94, que cria o Conselho Nacional de Direitos Humanos; 301/07, sobre a participação do Brasil no Tribunal Internacional de Direitos Humanos; e o PL 99/07, que regulamenta a profissão de motorista.

A MP 550/11 permite à União conceder subvenção econômica para bancos federais em financiamentos de bens e serviços de tecnologia utilizados para assistência a essas pessoas.

Bebidas nos estádios

De acordo com  o vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, para o Palácio do Planalto não há problema em deixar essa questão (da bebida) para depois, e, assim, a aprovação será unânime.

Questionado sobre um possível desacordo entre governo e Fifa, o líder governista foi categórico: "Cada macaco no seu galho. A Fifa é a Fifa. O governo é o governo. E o Congresso é o governo".

Os líderes partidários estão reunidos no gabinete da liderança do governo na Câmara dos Deputados, com Arlindo Chinaglia, e receberam a visita da ministra Ideli Salvatti, responsável pela relação entre Planalto e Congresso.