SP: em julgamento, 'maníaco da Cantareira' admite 1 homicídio 

Começou por volta das 13h50 desta terça-feira o julgamento de Ademir Oliveira Rosário, 36 anos, conhecido como maníaco da Cantareira. Ele é acusado de matar os irmaõs Francisco Ferreira de Oliveira Neto, 14 anos, e Josenildo José de Oliveira, 13 anos, na Serra da Cantareira, em 22 de setembro de 2007. Como nenhuma testemunha foi convocada, nem pela defesa, nem pelo Ministério Público (MP), o julgamento começou com o depoimento do réu, que durou 20 minutos. Ele confessou ter matado Francisco e disse que Josenildo foi morto por um comparsa. Ademir negou que tenha abusado sexualmente das vítimas.

"Não sei o que deu em mim, deu uma coisa em mim. Eu queria ter uma coisa com eles, não é estupro como foi falado", disse o acusado. O julgamento ocorre no Fórum de Santana, na zona norte de São Paulo, e a expectativa é que termine ainda hoje. Após Ademir ser ouvido, os debates entre as partes serão iniciados. Na sequência, os sete jurados - cinco mulheres e dois homens - decidirão pela condenação ou absolvição do réu e, em seguida, o juiz Gilberto Ferreira da Cruz lerá a sentença.

Pouco antes do julgamento, a mãe das vítimas, que está acompanhada de psicólogos e assistentes sociais, pediu justiça. "Eu só espero que ele seja condenado e a justiça seja feita. Vai ser muito difícil (encarar Ademir no tribunal), mas é algo que eu preciso fazer", afirmou Rita de Cássia Alves Oliveira, 36 anos.