Peso de processos ameaça prédio da Justiça de MG, diz sindicato 

O receio de que um prédio da Justiça em Belo Horizonte desabe devido ao excesso de processos mantidos no local motivou a deliberação, na quarta-feira, de uma "greve de advertência" por parte do Sindicato dos Servidores da Justiça de Primeira Instância do Estado de Minas Gerais (Serjusmig). O edifício, que tem 12 andares, reúne sete varas da Fazenda Pública. A "paralisação total dos trabalhos" está prevista para o próximo dia 6.

Segundo o sindicato, os servidores "estão submetidos a situações insalubres e riscos dentro do edifício em que estão instaladas as varas de Fazenda Pública e Autarquias de Belo Horizonte".

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJ-MG) se reuniu com os sindicalistas após um protesto dos funcionários no último dia 16. Foi apresentada uma manifestação do titular do setor de obras do TJ-MG, Jorge Paradela, que não foi aceita como laudo oficial para atestar a segurança da edificação. Além disso, o sindicato destaca que o texto não afasta riscos de desabamento, já que essa situação se verificaria "desde que se respeite o layout proposto pelo setor de obras". Segundo os servidores, o layout data de 2009, quando haveria "muito menos processos" no prédio.

O sindicato entende que "o documento do sr. Paradela praticamente repassa ao perito independente, indicado pelo Serjusmig, a responsabilidade de emitir um parecer sobre o local", o que seria "obrigação do Tribunal, que já deveria possuir um laudo atualizado com dados concretos e assinado por especialistas da Casa (que possui um setor específico para tal)".

Em assembleia geral, a presidente do Serjusmig, Sandra Silvestrini, leu trechos de laudo de 2010 no qual outra profissional do setor de obras do TJ-MG atestava que o local não comportava a demanda das varas ali instaladas, "o que tornaria impossível se respeitar o citado layout de 2009".

O sindicato exige um laudo técnico oficial, assinado pela Casa, comprovando que não existe risco nem insalubridade no prédio "ou então, caso não seja possível tal comprovação, uma ação imediata, visando a tirar os colegas do ambiente insalubre e perigoso".