Planalto diz que fornecerá dados sobre a ditadura para o Uruguai

O Palácio do Planalto disse ao governo do Uruguai que está disposto a colaborar com as autoridades para dar informações sobre cidadãos daquele país mortos e desaparecidos no Brasil durante a ditadura militar. Para o governo brasileiro, o pedido uruguaio sobre arquivos desse período está em sintonia com ações implantadas aqui, como a criação da Comissão da Verdade e a aprovação da Lei de Acesso à Informação. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

De acordo com o ministro de Relações Exteriores do Uruguai, Luis Almagro, há informações de uruguaios desaparecidos ou mortos no Sul do Brasil. O diretor do Movimento de Justiça e Direitos Humanos, Jair Krischke, de Porto Alegre, no entanto, não acredita na possibilidade de um acordo entre o Brasil e o Uruguai funcionar de maneira eficiente. O movimento dirigido por ele se dedica ao trabalho de investigar e esclarecer casos de mortes e desaparecimentos por razões políticas na região do Cone Sul, onde funcionou nos anos 1970 a Operação Condor, um acordo político firmado entre os governos para perseguir os dissidentes políticos.