Familiares acompanham homenagem a militares mortos na Antártida

Chegaram na manhã desta terça-feira os restos mortais dos dois militares brasileiros mortos no combate ao incêndio que atingiu a Estação Antártica Comandante Ferraz no último fim de semana. O avião com os segundos-tenentes Carlos Alberto Vieira Figueredo e Roberto Lopes Dos Santos, vitimados pelo incidente, chegou à Base Aérea do Galeão no Rio de Janeiro por volta das 9h.

O vice-presidente, Michel Temer, e o ministro da Defesa Civil, Celso Amorin, chegaram à base aérea para acompanhar a cerimônia em que os segundos-tenentes serão agraciados com o grau de comendador da Ordem do Mérito da Defesa.

A condecoração, a mais importante concedida pelo Ministério da Defesa, é outorgada para premiar civis e militares, brasileiros ou estrangeiros, que tenham se distinguido no exercício da profissão, além de organizações militares e instituições civis que tenham prestado relevantes serviços ao Ministério da Defesa e às Forças Armadas.

Um hangar da base aérea foi preparado para receber a cerimônia. Além de Temer e Amorin, acompanham o cerimonial cerca de 50 familiares dos dois militares. O fogo que atingiu a instalação consumiu 80% da estação e teria ocorrido na praça de máquinas, local onde ficam localizados os geradores de energia.

A Estação Antártica Comandante Ferraz completou 30 anos em janeiro deste ano. Ela foi instalada na Baía do Almirantado, localizada na Ilha Rei George, em 1984. A partir de 1986, passou a ser ocupada anualmente por pesquisadores e militares da Marinha do Brasil, podendo acomodar até 58 pessoas. A estação tem laboratórios destinados às ciências biológicas, atmosféricas e químicas.