Cerca de 23% da rede hoteleira tem padrão inferior de conforto

Os estabelecimentos de hospedagem analisados  pelo IBGE informaram, na Pesquisa de Serviços de Hospedagem (PSH 2011), o padrão de conforto em que se enquadram, considerando-se decoração, mobiliários, aparelhos, instalações sociais e esportivas e atendimento.

Na categoria luxo, estão enquadrados, apenas, 3,5% dos estabelecimentos. A categoria superior ou muito confortável responde por 11,0%, enquanto os estabelecimentos considerados turísticos/ médio conforto representam 24,7% do total da rede. O maior percentual de estabelecimentos (37,6%) pertence à categoria econômico. No último grupo, com 23,2%, estão reunidos os estabelecimentos simples.

Embora São Paulo registre o maior quantitativo de estabelecimentos na categoria luxo e na categoria superior/muito confortável (143 nas duas categorias), Rio de Janeiro possui, em termos relativos, a maior proporção desses estabelecimentos na sua rede de hospedagem (23,5%), seguido de Curitiba (21,1%), Porto Alegre (21,0%) e Natal (19,8%).

Dentre as capitais que registram maior proporção de estabelecimentos com categoria turístico/médio conforto, destaca-se Florianópolis (50,0%). Em termos absolutos, nessa categoria, lidera São Paulo (155 estabelecimentos), seguido por Florianópolis (127) e Salvador (106). Possuem a maior rede de estabelecimentos, na categoria econômico, São Paulo (359), Rio de Janeiro (133), Fortaleza (121), Salvador (115) e Belo Horizonte (105). Cerca de metade da rede nessa categoria, nas 27 capitais, é integrada por hotéis (975), seguido por motéis (515) e pousadas (288).

Em números absolutos, os estabelecimentos com padrões inferiores de conforto (categoria simples e econômica) nas capitais totalizam 3.064, sendo 1.446 hotéis, 831 motéis, 459 pousadas, 153 pensões de hospedagem, 94 albergues turísticos, apenas 35 apart-hotéis/flats, e 46 de outros tipos. Dentre o total desses estabelecimentos da categoria simples, 315 estão localizados em São Paulo, seguido por Salvador (101), Rio de Janeiro (90) e Belo Horizonte (87). Em termos percentuais, têm maior representatividade, nas categorias econômicos e simples, São Paulo (69,3%), Belo Horizonte (66,0%) e Fortaleza (60,7%).