PMs grevistas começam a deixar Assembleia Legislativa da BA 

Os policiais amotinados começam a deixar a Assembleia Legislativa da Bahia na manhã desta quinta-feira. De acordo com a Secretaria de Comunicação Social, o fim do motim estava previsto para 6h de hoje. A informação foi divulgada durante a madrugada, pelo advogado dos policiais, Rogério Andrade. Para Andrade, a estimativa é de que 300 pessoas ainda estejam no local.

Desde o início da madrugada, outras cinco pessoas já haviam deixado o prédio depois de terem sido informadas da repercussão das gravações telefônicas que comprometem o líder grevista Marco Prisco, expulso da Polícia Militar após uma greve em 2001.

Os manifestantes que acampavam no entorno da Assembleia também começam a deixar o Centro Administrativo da Bahia (CAB). Dois líderes do motim, integrantes da lista dos 12 mandados solicitados pelo Ministério Público Estadual e expedidos pela Justiça, já estão presos, acusados de formação de quadrilha e roubo de patrimônio público.

As prisões preventivas foram decretadas pela juíza Janete Fadul e, além de responder por crimes como formação de quadrilha, depredação de patrimônio público e disparo de arma de fogo em via pública, os policiais vão passar por um processo administrativo na própria corporação. Na quarta-feira, a Justiça negou, pela segunda vez, os pedidos de habeas corpus de Marcos Prisco e Alexandre Barros.