Por segurança, TJ baiano suspende parcialmente o funcionamento 

O Tribunal de Justiça da Bahia (TJ-BA) suspendeu nesta segunda-feira o funcionamento do órgão no Centro Administrativo da Bahia (CAB) por conta da ação de desocupação da Assembleia Legislativa da Bahia, que é ocupada pelos policiais militares em greve. De acordo com a assessoria do órgão, por motivo de segurança, apenas os serviços considerados essenciais estão mantidos nesta segunda.

Os policiais militares em greve passaram a noite em alerta na Assembleia Legislativa, aguardando a possível invasão do local. Durante a madrugada não houve movimentação da Força Nacional, mas, a partir de 5h, viaturas da instituição passaram a circular no Centro Administrativo da Bahia (CAB), levantando a suspeita que a desocupação realmente iria acontecer.

O grupo está em alerta desde ontem, quando o presidente da AL, Marcelo Nilo, solicitou apoio do Exército para retirar os grevistas da Assembleia até a meia-noite de domingo, o que não ocorreu.

Quarenta homens do Comando de Operações Táticas da Polícia Federal, considerada a "tropa de elite" da corporação, chegaram neste domingo a Salvador para cumprir os 11 mandados de prisão dos 12 expedidos pela justiça. Cerca de 3 mil militares também foram enviados para a capital baiana para reforçar o policiamento