'Votei a favor da Lei Seca', diz deputado autuado em blitz

Um dia após ter sido autuado em uma blitz por dirigir embriagado na avenida W3 norte, próximo à região central de Brasília, o deputado federal Gladson Cameli (PP-AC) divulgou nota na qual garante ter colaborado com os policiais militares e reitera ter votado a favor da Lei Seca.

"Em respeito à Lei e aos seus agentes, cumpri todas as formalidades exigidas durante operação de trânsito efetuada pela Policia Militar do Distrito Federal, tendo realizado, inclusive, o teste do bafômetro. Como foi, também, amplamente noticiado, em nenhum momento usei da prerrogativa de meu mandato de deputado federal para obter qualquer facilidade ou benefício", afirmou Cameli nesta quarta-feira.

Parado na madrugada de ontem, o parlamentar fez o teste do bafômetro, que detectou 1,14 mg de álcool, acima do teto de 0,33 mg definido pela Lei Seca. "Reconheço que, mesmo me sentindo bem, não deveria ter dirigido. Por isso, estou à disposição da Justiça para demais esclarecimentos sobre o fato, não me abstendo das responsabilidades como cidadão. Por fim, ressalto que votei a favor da Lei Seca, bem como votarei a favor das alterações que tramitam na Câmara Federal", completou o parlamentar, que não causou nenhum acidente de trânsito.

Também na terça-feira, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, informou que o governo quer tornar mais severa a Lei Seca. "A lei (atual) é boa, mas é necessário superar problemas que possam alimentar a sensação de impunidade. A nossa ideia é modificar a lei para que a sensação de impunidade que volta novamente fazer com que as pessoas se sintam livres para beber e dirigir possa ser combatida", disse o ministro. Pela proposta, o governo eliminaria o limite mínimo de consumo de álcool e quem dirigir após ingerir qualquer quantidade de bebida alcoólica seria penalizado. Além do teste do bafômetro, outras formas de prova poderiam ser utilizadas, como filmagens ou uso de testemunhas.