Ministro compara obras no Mato Grosso às de Pequim 2008 e vê "folga maior"

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, visitou nesta quarta-feira as obras da Arena Pantanal, sede de Cuiabá (MT) para a Copa do Mundo de 2014. Rebelo esteve acompanhado de autoridades locais, e mostrou otimismo com o andamento da construção do estádio matogrossense, comparando o cronograma local com o da Olimpíada de Pequim (2008).

"Sou testemunha do esforço do governo de Mato Grosso em organizar a Copa da melhor forma possível, superando os desafios que são comuns a todas as sedes. Em Pequim, para a Olimpíada, as obras terminaram uma semana antes, aqui temos uma folga muito maior",declarou Rebelo. A promessa da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo de Mato Grosso (Secopa-MT) é de entregar o estádio até dezembro.

Junto do ministro, estiveram na Arena Pantanal o governador Silval Barbosa; o secretário extraordinário da Copa do Mundo, Eder Moraes; o prefeito de Cuiabá, Francisco Galindo; e o prefeito de Várzea Grande, Sebastião Gonçalves. Segundo Eder Moraes, o estádio terminará o mês de fevereiro com 43% das obras concluídas.

O ministro Rebelo aproveitou a visita ao Centro-Oeste para reforçar o pedido por populações indígenas nos estádios de futebol. "Não podemos fazer uma Copa e olhar para as arquibancadas e não ver um índio no jogo. É uma questão do governo, que eu levantei junto aos patrocinadores, e vamos procurar assegurar a presença de uma representação dessas populações indígenas", declarou.

Além de visitar o estádio de Cuiabá, Aldo Rebelo ainda acompanhou o andamento das reformas da Ponte Mário Andreazza, que está sendo duplicada a custo estimado de R$ 11,5 milhões. Ainda de acordo com a Secopa-MT, 83% da modificação iniciada em maio está pronta, e estará concluída em quatro meses. A ponte integra o Corredor Mário Andreazza, que facilita o tráfego entre o Aeroporto Marechal Rondon e a Arena Pantanal.

Siriri e cururu

Ainda durante a visita, o ministro do Esporte acompanhou uma apresentação de siriri e de cururu, duas danças típicas do Centro-Oeste. Rebelo foi presenteado com uma viola de cocho, instrumento símbolo da cultura do Mato Grosso.

"Esta Copa do Mundo representará a cultura, ecologia e economia da nosso país", resumiu ele, que voltará a Cuiabá em três meses para nova vistoria.