Jovem que ficou 3 dias em córrego melhora e deixa UTI em São Paulo

Depois de passar por um procedimento cirúrgico na noite de terça-feira para retirar líquido dos pulmões, Caroline Laila Soares, 19 anos, apresentou sensível melhora no estado de saúde e foi transferida, na manhã de hoje, da Unidade de Terapia Intensiva (UTI) para um quarto da Santa Casa de Fernandópolis, no interior de São Paulo.

A moça foi internada no hospital na noite de domingo, após ser resgatada de um córrego às margens da rodovia Elieser Montenegro Magalhães (SP-463), em Populina (SP), na divisa com Minas Gerais. Ela ficou deitada no córrego por três dias à espera de socorro. Caroline, que mora em Iturama (MG), viajava na noite de quinta para sexta-feira para visitar um amigo em Jales (SP), quando dormiu e perdeu o controle de seu carro. O veículo saiu da pista, capotou em uma ribanceira e caiu no córrego.

"A situação dela agora está muito melhor. Retiramos o líquido de seus pulmões e ela reagiu bem e melhorou muito, tanto que foi transferida para um quarto", disse o cirurgião Fernando Bertucci, que cuidou da jovem enquanto esteve na UTI. Segundo ele, não houve presença de sangue no líquido retirado dos pulmões, o que é um bom sinal. De acordo com o médico, parte do líquido que ainda restou nos órgãos será eliminada naturalmente pelo organismo da moça. "O fato de ela ser jovem ajudou para que tivesse forças para se recuperar bem", explicou o médico.

Para sobreviver, Caroline teve de beber água do córrego. Esse fato preocupou os médicos, pois a possível contaminação da paciente poderia aumentar os riscos de infecção e prejudicar ainda mais seu estado de saúde. "Felizmente, ela se recuperou e não contraiu nenhuma infecção", afirmou Bertucci.

Outras cirurgias

Conforme melhore seu quadro de saúde, Caroline será submetida a duas outras cirurgias ortopédicas - para reparar fraturas no tornozelo e na tíbia esquerda. Além desses ferimentos, Caroline ainda quebrou a fíbula (na perna) e ossos da bacia, que serão recuperados sem necessidade de cirurgia, informou o ortopedista José Maria Nueva, responsável pelo tratamento de Caroline. Os médicos esperavam a moça de recuperar de uma desidratação para fazer as cirurgias.

"Ela melhorou tanto, que poderemos fazer as cirurgias ainda hoje (quarta)", disse Nuevo. Reflexo da evolução no estado de saúde de Caroline foi o fato de ela poder ter feito suas primeiras refeições sólidas desde que deu entrada no hospital.