SP encomenda análise sobre causa de queda da laje que matou 1

A Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo informou nesta sexta-feira ter criado excepcionalmente um grupo de trabalho para analisar as causas do acidente de ontem na obra da Fábrica de Cultura da Brasilândia, zona norte de São Paulo. Por volta das 15h de quinta-feira, cerca de 300 m² de laje da cobertura, que ficava a uma altura de 27 m, cederam e provocaram a morte de um funcionário e deixaram outros 11 feridos.

De acordo com a pasta, o Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) foi contratado para integrar o grupo e elaborar a análise técnica do acidente. O Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (Crea-SP), que esteve no local do acidente na manhã de hoje, também auxiliará no processo.

"Só uma análise mais detalhada - que levará em conta tanto o projeto de escoramento e sua execução, bem como os materiais utilizados -, irá apontar com precisão o que provocou o acidente", afirmou a secretaria em nota. No início da tarde de hoje, técnicos da pasta e do IPT vistoriaram a obra da Brasilândia. A construção da unidade de Cidade Tiradentes, zona leste da capital - interditada após o acidente - também será vistoriada.

Na manhã de hoje, a empresa Ubiratan, responsável pela obra, reuniu-se com o secretário estadual de Cultura, Andrea Matarazzo, e informou em um relatório preliminar que pode ter havido falha no processo de execução do escoramento da laje. Segundo a secretaria, a empreiteira forneceu toda a documentação do projeto de escoramento, e se comprometeu a contratar uma empresa externa para determinar onde pode ter ocorrido o erro.

A secretaria informou também que, dos cinco operários hospitalizados após o acidente, quatro foram liberados. Ainda segundo a pasta, a família de Nivaldo Rodrigues da Silva, trabalhador que faleceu no desabamento, recebia amparo e acompanhamento por parte da empreiteira.