Crea vistoria obra que desabou e provocou a morte de um operário em SP 

Técnicos do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia  (Crea-SP) irão vistoriar hoje (13) a obra do governo do estado de São Paulo que desabou na tarde de ontem (12), na Zona Norte da capital. O desabamento da laje de um prédio em construção matou o operário Nivaldo Rodrigues da Silva e deixou 11 feridos.

O local abrigará a Fábrica de Cultura da Brasilândia, vinculada à Secretaria de Cultura do estado. Segundo a Defesa Civil, a causa mais provável para o acidente é falha no escoramento. No momento do acidente, era feita a concretagem da laje e cerca de 60 homens trabalhavam no local.

A obra estava sob responsabilidade da construtora Ubiratan, que venceu licitação no ano de 2009 e atua também na construção da Fábrica de Cultura de Cidade Tiradentes, na zona leste. Ambas as obras foram interditadas pelo secretário estadual de Cultura, Andrea Matarazzo. Ele solicitou também um laudo técnico para apuração das responsabilidades, que será produzido pela equipe técnica da secretaria, com auxílio do Crea-SP.

No final da manhã de hoje, a construtora apresentará um relatório sobre o desabamento em reunião na sede da Secretaria da Cultura. Segundo a secretaria, cada um dos contratos com a empresa tem valor aproximado de R$ 12 milhões.

A assistência às vítimas e suas famílias será prestada pela empreiteira, conforme determinação do secretário da Cultura.