Animais que estavam em casa de suspeita são levados para ONG

 

Nove animais foram retirados na tarde desta sexta-feira da casa de Dalva Lina da Silva, 42 anos, suspeita de matar 33 cães e gatos e colocá-los em sacos de lixo em frente no bairro Vila Mariana, em São Paulo. De acordo com o delegado Wilson Correia, depois de serem levados ao Departamento de Polícia de Proteção à Cidadania (DPPC), oito gatos e um cachorro foram encaminhados para a ONG Adote um Gatinho.

A acusada foi presa nesta madrugada por policiais da DPPC após denúncias de maus tratos. Ela foi localizada no bairro Vila Mariana e os corpos dos animais estavam abandonados em frente à casa dela.

Na garagem da residência havia diversas gaiolas para transporte de animais. Na noite de quinta, ela foi vista jogando os bichos mortos no lixo. Segundo a PM, ela falou que sedava e sacrificava alguns animais porque eles sentiam dor. Segundo a polícia, a mulher foi liberada porque o caso é considerado de menor potencial ofensivo. Ela afirmou que recebeu os cães e gatos doentes e tentou tratá-los, mas como não obteve sucesso, aplicou anestésico para que cinco deles morressem sem dor.

ONGs que trabalham na defesa de bichos denunciaram que a morte dos 33 animais está ligado a um comércio clandestino de sangue de animais. O delegado Correa não descartou a hipótese do tráfico de sangue. Porém, ele prefere aguardar pelos exames veterinários. "Queremos saber as causas das mortes. Ela disse que matou apenas cinco, em estado terminal, mas não explicou as outras. Vamos checar para ver se realmente procede esta denúncia".